Comunicação

Protestos no show de 50 anos da Globo no Maracanãzinho

Imprimir
Quinta, 23 Abril 2015
Acessos: 3360
Compartilhar

A manifestação organizada por ativistas do movimento pela democratização da comunicação faz parte das atividades de “Descomemoração dos 50 anos da TV Globo”

 

As pessoas que chegaram para assistir o grande show de 50 anos da Globo na noite desta quinta (23) se deparam com uma surpresa nada agradável para os donos da festa. Ativistas de várias entidades e movimentos sociais organizaram um protesto na frente do portão de entrada do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. O público que veio assistir o espetáculo de artistas famosos se deparou com denúncias completamente omitidas pelos veículos de comunicação da rede da família Marinho. Com faixas, cartazes, bandeiras e camisetas estampando slogans e frases contra a TV Globo, os manifestantes distribuíram milhares de panfletos, e se revezaram no microfone para expor as constantes práticas de manipulação da informação, a histórica vinculação com a ditadura, o crime de sonegação fiscal, a concentração monopólica e o apoio a políticos conservadores e corruptos.

Ativistas e militantes de entidades como FALERIO/FNDC, ENECOS, ARPUB, ARCO-RJ/MNRC, UBM, CUT, CTB, FIST, CMP, SindiPetro-RJ, SindRad-RJ, Barão de Itararé e Jornal Inverta, entre outras, fizeram uso da palavra e gritaram palavras de ordem como 'A Verdade é Dura, a Rede Globo apoiou a Ditadura!' e 'O Povo não é Bobo, Abaixo a Rede Globo'. Entre perplexos e desconfortáveis, os convidados foram brindados com dezenas de informações e dados que certamente não aparecem no Jornal Nacional.

O aniversário da Globo não passou em branco. Nos próximos dias, milhares de panfletos continuarão a ser distribuídos em locais de concentração da população, amplificando as denúncias e a desconstrução do papel nefasto da emissora cinquentona. O movimento incluiu banquinhas pra coleta de assinaturas do Projeto de Lei de Iniciativa Popular da Lei de Mídia Democrática, com propostas para regulamentar o capítulo de comunicação da Constituição. A ação nas redes sociais até domingo é divulgar as manifestações pela hashtag unificada: #Globo50AnosdeDitadura.

APOIO À DITADURA - “Roberto Marinho era um jovem playboy que herdou, com a morte de seu pai em 1925, um jornal no Rio de Janeiro. Assim permaneceu até 1944, quando surgiu a também carioca Rádio Globo AM. Foi apenas no governo Kubitschek que Marinho conseguiu uma outorga para o que viria a ser a TV Globo”, conta o jornalista Gustavo Gindre, da Ancine, em artigo publicado esta semana.

Sobre a situação atual da empresa ele revela: “Entre os países ditos democráticos, apenas dois possuem uma única empresa que concentra mais de 60% do capital circulante nos meios de comunicação: o Brasil (Globo) e o México (Televisa). Não por acaso, ambos essenciais para a política norte-americana em relação ao seu “quintal”, a América Latina.”, analisa. “Segundo dados de 2013, se somada a receita líquida da Abril, SBT, O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo e RBS, o resultado fica em torno de um terço da receita líquida da Globopar (holding da família Marinho que não inclui seus jornais e rádios). Já em relação ao lucro líquido somado destas empresas, ele corresponde a menos de 10% do da Globopar. Ainda em 2013, apenas cinco empresas não financeiras (Petrobras, Vale, Telefônica/Vivo, Ambev e Cemig) tiveram lucro líquido maior do que a Globopar, com a diferença que esta é a única que tem seu capital fechado, pertencente apenas aos herdeiros de Roberto Marinho”.

VÍDEOS - Conheça um pouco da história da Rede Globo em diversos vídeos disponíveis na internet: Sonegação da GloboGlobogolpe Remix; Levante sua vozMuito além do Cidadão Kane; Don Quixote no cérebro da Globo.

Fonte: Agência Petroleira de Notícias, Fale-Rio e Jornal Surgente

Fotos: Samuel Tosta / Agência Petroleira de Notícias

Compartilhar

Copyright © 2019 Agência Petroleira de Notícias. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um software livre com licença GNU/GPL v2.0

Av. Presidente Vargas, 502, 7º andar, Centro, Rio de Janeiro - RJ, CEP 20010-000 • (21) 2508-8878 Onlink.